Comunicado – Reportagem TVI (10.01.19)

A Associação Plano i repudia veementemente quaisquer tipos de práticas cujo objetivo seja a conversão ou a reorientação sexual de pessoas LGBTI.
Na sequência da reportagem emitida ontem pela TVI, da autoria da jornalista Ana Leal, cujas evidências são de uma gravidade inqualificável, dirigiu esta Associação à Ordem dos Psicólogos Portugueses o seguinte ofício, esperando deste organismo uma atuação célere e eficaz:

À Comissão de Ética da Ordem dos Psicólogos Portugueses

Na sequência do trabalho desenvolvido pela jornalista Ana Leal, plasmado na reportagem emitida na TVI a 10 de janeiro de 2019, vem a Associação Plano i solicitar à Ordem dos Psicólogos Portugueses que averigue todas as circunstâncias no âmbito das quais as práticas de conversão ou de reorientação sexual ali referenciadas são levadas a cabo pelos/as psicólogos/as visados/as.
Considera a Associação Plano i, organização que dispõe da única estrutura de atendimento a vítimas de violência doméstica LGBTI (lésbicas, gays, bissexuais, trans e intersexo) localizada a norte do país – o Centro Gis – e da única estrutura de acolhimento de emergência para vítimas de violência doméstica LGBTI existente em Portugal – a Casa Arco-Íris – que tais práticas atentam contra a dignidade, a liberdade e a saúde das pessoas LGBTI, constituindo uma séria violação das diretrizes nacionais e internacionais, cientificamente validadas, em matéria de avaliação e intervenção psicológicas.
A utilização, por parte de psicólogos/as, de procedimentos desta natureza não apenas é lesiva dos interesses e das necessidades dos/as clientes, como põe em causa a credibilidade da classe profissional.

Com os nossos melhores cumprimentos

Pela Direção