Gisberta: “Ela já morreu, mas continua a marcar”

“Uma mandala colorida recebe-nos depois de aberta a porta do Centro Gis, localizado no antigo edifício da Câmara Municipal de Matosinhos. As cores vivas traçam o retrato de um espaço onde a diversidade é sinónimo de força, coragem e energia positiva. O centro de resposta à comunidade Lésbica, Gay, Bissexual, Transgénero e Intersexo (LGBTI) nasceu em memória de Gisberta, no dia 9 de janeiro de 2017″.

Notícia do JPN.

“Matosinhos acolhe “Centro Gis” de resposta às necessidades da população LGBT”

“O “Centro Gis”, em memória de Gisberta, a transexual assassinada no Porto em 2006, nasce hoje em Matosinhos fruto de um compromisso com o Estado e pretende ser uma resposta às necessidades da população LGBT do distrito”.

Notícia no Destak.