Resultados da 1.ª fase do Estudo Nacional sobre a Violência no Namoro

A Associação Plano i publica, a propósito do Dia Internacional das Mulheres, os resultados da 1.ª fase do Estudo Nacional sobre a Violência no Namoro: Crenças e Práticas. O mesmo pode ser lido aqui.

Principais conclusões:

  • 56.5% das/os participantes já foram sujeitas/os a pelo menos um ato de violência no namoro. 56.2% das mulheres e 57.3% dos homens figuram como vítimas.
  • 36.6% das/os participantes já praticaram pelo menos um ato de violência no namoro. 34.4% das mulheres e 43.4% dos homens figuram como agressoras/es.
  • Embora a violência no namoro seja sofrida e praticada por ambos os sexos, os rapazes praticam mais do que as raparigas e estas sofrem mais do que os rapazes.
  • A violência psicológica é a mais prevalente nas relações de namoro.
  • Quem sofreu e quem praticou violência no namoro apresenta crenças sobre as relações sociais de género mais conservadoras do que quem não sofreu e não praticou violência.
  • Os homens apresentam crenças sobre as relações sociais de género mais conservadoras do que as mulheres.

Vídeo do Seminário Final do UNi+

O Seminário Final do UNi+ teve a cobertura mediática da equipa do CLM do ISMAI, a quem agradecemos todo o trabalho efetuado.

Seminário Final Uni+

SEMINÁRIO FINAL UNI+Realizou-se a 14 de fevereiro, no Instituto Universitário da Maia – ISMAI, o Seminário Final do Programa UNi+ – Prevenção da Violência no Namoro com Contexto Universitário -, promovido pela APi – Associação Plano i e financiado pela Secretaria de Estado para a Cidadania e Igualdade.No evento foram apresentados os resultados do Programa UNi+, bem como discutidas questões teóricas e práticas associadas à prevenção da violência no namoro e à intervenção junto das vítimas.Foi lançado o livro Violências no Namoro, o qual reúne contributos de diferentes autoras e autores.O evento contou com a presença da Sra. Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade e da Sra. Presidente da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género.

Publicado por Instituto Universitário da Maia – ISMAI em Sábado, 17 de Fevereiro de 2018

UNi+ em Coruche

“A Associação Plano i vai dinamizar três sessões do mesmo workshop dedicado à sensibilização e prevenção da violência no namoro no auditório do pavilhão desportivo municipal de Coruche, no dia 15 de fevereiro, às 11, 14h30 e 16h30.

“Eu daria o meu mundo por ti, mas preciso dele” é o nome do workshop, que tem como público alvo cerca de 180 alunos da Escola Profissional de Coruche e da Escola Secundária do Agrupamento de Escolas de Coruche”.

Uma em cada dez vítimas de violência no namoro sofreu ameaças de morte

“Começou a esperar-me à porta de casa quando chegava do trabalho. Ele dizia que era para fazer uma surpresa, mas hoje sei que era só para me controlar.” No Dia dos Namorados é também altura de falar sobre a realidade menos romântica da violência nestas relações. Um estudo sobre violência no namoro em contexto universitário mostra que mais de metade dos inquiridos foi vítima de violência no namoro e 37% admitem já tê-la praticado. Dos mais de 1800 jovens universitários que responderam, um quinto das raparigas já foi controlada em aspectos que têm dever com a sua imagem física ou com os lugares que frequentam, e 8% já foram obrigadas a ter comportamentos sexuais não desejados.

Notícia do Público.

“Coruche recebe workshop sobre Prevenção e Violência no Namoro”

“Eu daria o meu mundo por ti, mas preciso dele” é o tema desta sessão

No próximo dia 15 de fevereiro terá lugar em Coruche um workshop promovido pela Associação Plano i, visando trabalhar o tema da sensibilização e prevenção da violência no namoro.

As três sessões agendadas do mesmo workshop, têm como público alvo cerca de 180 alunos da Escola Profissional de Coruche e da Escola Secundária do Agrupamento de Escolas de Coruche.

A Associação Plano i tem como missão a promoção da igualdade em todas as esferas da vida social nomeadamente  desconstruindo e combatendo junto de diferentes interlocutores individuais e coletivos, discursos e práticas promotoras da discriminação, da exclusão e da violência.

 

Notícia Comércio e Notícias.